Mulheres na Comunidade Magento: sendo uma parte da tribo

Mulheres na Comunidade Magento: sendo uma parte da tribo

Na Imagination Media, orgulhosamente apresentamos uma equipe de especialistas diversificada. Todos e cada um deles são dotados de um certo conjunto de habilidades e todos eles trazem imenso valor para a empresa. No entanto, como muitas empresas de TI (e Magento), ainda não temos muitas mulheres a bordo. Nossa Diretora de Marketing e Vendas, Ivona Namjesnik, organizou recentemente uma conferência sobre esse assunto - e nos guia através de ações que ajudarão a todos a #BalanceForBetter.

P: Ivona, antes de nos contar sobre a conferência, você poderia compartilhar um pouco sobre quem você é, onde você mora, o que você faz?

Com certeza! Então, como você já ouviu falar, meu nome é Ivona e sou um novo membro da equipe da Imagination Media. Entrei na empresa em julho de 2018 e, desde então, meu trabalho tem sido aumentar a conscientização dos comerciantes interessados em Magento em torno de nossos serviços e especialidades e, claro, cultivar nossas relações de parceria (seja com leads, clientes, parceiros ou qualquer tipo de prestador de serviços). Você pode dizer que eu trabalho como Diretora de Marketing e Vendas, mas, na verdade, isso significa ter muitos papéis - de gerente de mídia social à construtora de estratégias. Eu também me considero muito sortuda de poder mudar esses papéis, porque são eles que me dão uma ótima percepção do que nossa equipe é capaz - e combinando suas habilidades com exatamente o que os clientes em potencial precisam.

P: Mas não se trata apenas de estar envolvido com leads, clientes, parceiros e a equipe da Imagination Media, estou certo?

Definitivamente não! O que eu realmente valorizo é estar envolvida com o ecossistema mais amplo de eCommerce e Magento. Acho que as pessoas que trabalham em TI são bastante inspiradoras e sempre faço o meu melhor para tentar me envolver com todos os tipos de iniciativas da comunidade. Temos a honra de participar também da Iniciativa de Otimização Móvel, fazendo o melhor para enviar os membros da nossa equipe para conferências, independentemente de sua função (participante, palestrante ou organizador).

P: Pelo que ouvimos, você também organizou recentemente uma conferência?

(Risos) Sim, você está absolutamente certo. Eu não acho que há algo tão gratificante como fazer sua parte em defender as coisas em que você acredita. Minha meta agora é organizar conferências para mulheres e motivá-las a aspirar papéis de liderança.

P: Você poderia nos contar um pouco mais sobre a conferência, como tudo começou?

Claro!

A conferência foi organizada por Lean na Croácia - uma vertente nacional de um movimento internacional comandado pela COO do Facebook, Sheryl Sandberg. Tenho orgulho de ser membro e, há pouco tempo, sua coordenadora nacional.

Para a conferência, unimos forças com a Professional Women's Network da Croácia e decidimos abordar o tema da transformação pessoal e profissional. Recebemos mais de uma dúzia de mulheres que compartilharam suas histórias sobre a superação de obstáculos, dificuldades e esforço para fazer e ser mais. Foi um dos eventos mais memoráveis que já participei.

P: O que você concluiu na conferência - o que podemos fazer para diminuir a diferença de gênero?

Não é uma daquelas "conferências". Não existe uma solução simples para resolver um desafio deste tamanho. Mas acredito que todas as sugestões discutidas pelas nossas palestrantes e painelistas giram em torno de praticamente a mesma estratégia: ser corajosa sobre quem você é - e compartilhar isso com o mundo. O que te proporciona uma incrível quantidade de poder, unindo o seu passado, experiência, habilidades e aspirações.

P: Você acha que há a necessidade desses tipos de eventos?

Não estou dizendo que precisamos desses eventos. No entanto, estou dizendo que definitivamente precisamos de algo que ajude as mulheres a se sentirem reconhecidas em sua comunidade. Pode ser um encontro, uma conferência, uma reunião, mas seja o que for, certifique-se de que funciona para você e sua “tribo“.

Pelo fato de trabalhar na comunidade de TI, tenho a honra de conhecer tantas mulheres maravilhosas que simplesmente não se sentem corajosas o suficiente para subir em um palco e compartilhar seus conhecimentos. Isso não as torna menos espertas que seus colegas do sexo masculino. Apenas prova que há algo fundamentalmente errado na maneira como criamos nossos filhos. Como eu disse no meu discurso de abertura: "Se nós criamos nossas garotas para ficar em silêncio, estamos ensinando a elas que sua voz não importa".

P: O que podemos fazer para que as mulheres se sintam mais convidadas?

Primeiro, precisamos resolver o problema de reconectar o cérebro feminino - você é inteligente, é capaz, possui esse estágio / projeto / tarefa. Muitas mulheres sofrem com a síndrome do impostor, e antes de sairmos e começarmos a atacar os homens por algo que eles fizeram ou não fizeram, temos que ter certeza de que há mulheres prontas para preencher e fechar o gap.

E então, é claro, precisamos ter certeza de que a comunidade está aceitando diferentes estilos de liderança. Eu acho que nunca conheci uma mulher que quer ser empregada baseado puramente no fato de que ela tem "partes femininas". A discriminação positiva não está fazendo um favor a ninguém. O que queremos, no entanto, é simplesmente sermos vistas da mesma forma e, dadas as mesmas oportunidades, como os nossos colegas do sexo masculino. Precisamos de um sistema baseado na igualdade, não na condição.

P: E o que você acha das mulheres envolvidas com STEM, TI, Magento?

Estou impressionada com o quão inteligentes essas mulheres são! Eu sigo algumas dessas mulheres no Twitter, outras que eu pessoalmente conheci ou trabalhei e elas continuam a me inspirar todos os dias. Nós temos duas garotas maravilhosas comigo hoje, então eu acredito que elas podem compartilhar sua própria parte da história com o Magento.

P: Estamos nos unindo a Geiziane Neves, gerente de projetos, e Maiara Candido, analista de dados, ambas trabalham na Imagination Media. Senhoritas, como vocês se envolveram com a comunidade Magento?

G: Bem, verdade seja dita, eu não estava muito satisfeita com a área anterior em que estava trabalhando (contabilidade), pois não conseguia enxergar nenhuma oportunidade de crescimento. Quando digo oportunidade, não estou me referindo apenas ao dinheiro que os contadores ganham. Estou falando de oportunidades para aprender coisas novas, ser desafiada, visitar novos lugares, conhecer pessoas e ser motivada por tudo isso. Se estamos sendo completamente honestos, é isso que sempre sonhei em alcançar, é isso que eu amo.

Estou em busca constante de novas experiências, então comecei a procurar por algo que se encaixasse nessa descrição. Naquele momento, eu já conhecia algumas pessoas que trabalhavam com TI e Magento e eu as ouvi. Através de conversas e, claro, do Google, percebi que essa área está crescendo, há muitas oportunidades no mercado (não apenas no Brasil, mas em todo lugar) e fiquei agradavelmente surpresa ao ver o tamanho da indústria de e-commerce. O potencial para fazer e aprender mais é ENORME. Sim, é uma área desafiadora, mas todos esses fatores realmente me fizeram pensar em estar em uma área que eu nunca pensei que estaria. Então, eu descobri que havia uma faculdade muito boa na minha cidade, onde eu poderia estudar Análise e Desenvolvimento de Sistemas - isso resultaria em mais um diploma, em mais uma oportunidade, com a qual eu espero realmente crescer.

Eu me candidatei e aqui já estou no meu quarto semestre. Graças a este curso, a essas pessoas que conheço, também às aulas de inglês que fiz, consegui uma oportunidade incrível de começar a trabalhar com a equipe da Imagination Media. Eu aprendi muito em apenas um ano aqui e percebo que ainda tenho muito a aprender - acredito que nunca vou parar de aprender, mas a cada dia quero ser mais prestativa, ver mais resultados no que faço, e isso é tão incrível para mim. Esse também é o meu maior desafio e estou focada em conseguir mais do que jamais imaginei que poderia.

M: Acredite ou não, após terminar o ensino médio eu queria estudar artes e trabalhar com animação e ilustrações cômicas! Mas eu não entrei na universidade que queria, então decidi tirar um ano sabático para repensar minha vida e meus objetivos. Eu procurei muito e foi quando me ocorreu: sempre fui curiosa sobre tecnologia. Às vezes, amigos e familiares me pediam ajuda para coisas relacionadas à computação, porque eu apenas sabia como fazer ou conhecia o caminho certo para buscar respostas. Mas eu nunca vi isso como uma carreira até então. Depois de pesquisar sobre isso, percebi que havia muita criação envolvida, muitos campos e coisas novas sendo feitas todos os dias. Então, pensei comigo: gosto da sensação de criar algo e acho que tenho o que é preciso para entender esse campo, então por que não tentar? E eu fiz. Eu me especializei em Sistemas de Informação, acabei encontrando uma parte disso que eu estou realmente animada e atualmente estou me especializando em Big Data, Análise de Dados e Business Intelligence. Sobre Magento, bem, eu não esperava trabalhar com isso, mas aqui estou. Basicamente, eles estavam procurando alguém com conhecimento de manipulação de dados e eu me encaixo no trabalho.

P: Como este campo não foi a primeira escolha para nenhuma de vocês, presumo que existam algumas situações de amor / ódio com ele. Vocês poderiam escolher uma e explicar?

G: Eu amo o fato de que eu posso ver como as coisas são criadas, as muitas maneiras que você pode aprender, as muitas opções que você tem para trabalhar, seja desenvolvimento, análise, engenharia, vendas, etc. Você tem a chance de ver o que se encaixa melhor para você. No entanto, isso não é fácil. Se você quer bons resultados em sua vida profissional, você precisa se concentrar, estudar muito, você precisa saber onde você está indo e fazer o que você tem que fazer. Estamos falando de tecnologia e ela sempre muda mais rápido do que pensamos.

O que pensamos ser um problema pode ser nossa ferramenta poderosa para o sucesso. Nós não podemos parar, precisamos aprender, pesquisar, praticar. Sempre haverá algo novo para aprender. Eu escolhi amar isso e estou tentando tirar o máximo que posso de cada dia que eu vivo com tudo isso.

M: Adoro encontrar algo novo. Com a Análise de Dados, adoro as coisas que você pode encontrar em um monte de planilhas, xmls, csvs ... combinando-as e aprendendo algo novo.

Eu odiava como me sentia no começo da minha carreira - que eu tinha que me esforçar demais para me provar neste meio. Eu não me sinto mais assim. Talvez as pessoas nesta área sejam mais receptivas ou eu aprendi a lidar melhor com isso.

P: Maiara, algum conselho para as garotas interessadas em TI?

Não é uma área fácil para ninguém. É preciso muito estudo e prática e ainda sinto mesmo depois de cinco anos que estou longe de onde quero ser academicamente. Portanto, não desista, continue melhorando e continue curiosa.

P: Algo para adicionar, Geiziane?

O conselho mais importante é nunca parar! Nunca pare de sonhar ou estudar. Não desista. Não será fácil, mas essa é a parte boa. Nem todo mundo pode chegar onde você estará em um futuro próximo. Esta área não é apenas para garotos. Nós vemos muitas garotas por aí, e isso é incrível. Podemos usar nossa organização e disciplina para alcançar resultados maravilhosos!

Agora, quem é sua "tribo"? O que você faz para a comunidade em que você está?

Entre em contato com a nossa tribo para que possamos compartilhar mais sobre o que sabemos com você!